"Atualmente todos vivemos em um mundo dominado pelas máquinas. Quase não restam em nosso deteriorado planeta espaços livres, onde possamos esquecer nossa sociedade industrial e testar, sem sermos incomodados, nossas faculdades e energias primitivas. Em todos nós se esconde uma saudade do estado primogênito, com o qual podíamos calibrar-nos com a natureza e enfrentá-la, descobrindo a nós mesmos. Aqui está basicamente a razão de não haver para mim uma meta mais fascinante que esta: Um homem e uma montanha. "

(Reinhold Messner)

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Os barrancos e a geologia!

Voltando aqui, fugindo um pouco das montanhas e trilhas, vou contar um pouco de última aula de campo de geologia, afinal está também relacionado com ambientes naturais. Pensei em discorrer sobre outros assutos nessa mesma postagem, mas ao escrever sobre a aula de campo, vi que tinha coisas suficientes para falar e resolvi não misturar as coisas, de qualquer maneira  vou escrever de um jeito bem simples sobre a geologia.
  Afloramento de mármore.
A aula de campo de geologia geral do dia 22/05/11, passou por vários lugares na direção de Campo Magro e Bateias, como a parada da geologia são as rochas, passamos por afloramentos, ou pedreiras, de todos os tipos. A foto acima, é de um dos lugares, se não me engano em Bateias, pelo qual passamos, e o mais bonito. o afloramento tinha paredões enormes de mármore em volta de um lago de cor verde beem clara, muito bonita. Junto aos paredões de mármore, haviam também diques de uns 6 metros de altura, que tentando sair do geologuês são porções de magma que sobem  e cristalizam na crosta e após erosão aparecem na suerfície, bem mais ou menos isso, se é que deu para entender. Tudo isso junto formou uma bela paisagem para qualquer um, geólogo ou não. Tanto que encontramos parceiros, ou não tão parceiros, mas alguns jipeiros chegaram depois e começaram a fazer um churrasco em volta do lago, e chegou também outras pessoas da região, algumas talvez não tão educadas e agradáveis, talvez pelo efeito do álcool, haha, mas correu tudo bem para nós.

 
                  Dique                                                       Lago com água verda azulada beem clara

Além dessa paisagem, paramos em vários outros pontos, passando por afloramentos ígneos, sedimentares e metamórficos. Em outra parada de alforamento metamórfico, a grande atração foi as amostras de filito, uma amostra muito bonita por ter um brilho sedoso, no afloramento era um brilho prateado, e nessa caso com piritas inscrustadas, um mineral metálico dourado, o conhecido "ouro de tolo". Eu e tda a turma, colhemos várias amostras para enfeitar a casa hhaha. 

Passamos também por lugares que para qualquer pessoa seria um barranco no meio da estrada, mas para nós eram afloramentos de rochas ígneas, metamórficas e sedimentares, com várias estruturas como falhas geológicas, passamos sobre a Falha da Lancinha, uma falha gigantesca no Paraná, fraturas, dobramentos etc. na geologia, coisas fantásticas. =)

Saímos da universidade às 8 horas e voltamos perto das 19h, e mesmo assim, faltaram locais a serem observados, como um afloramento em São Luiz do Purunã, e por causa disso, teremos outra aula de campo para ver esses pontos!

Não vou especificar muito sobre a parte geológica, mas as aulas de campo são sempre muito interessantes, divertidas, e cheias de natureza e coisas fundamentais para quem gosta e quer entender o planeta Terra. 

Mas apesar de legais, não se enganem, as aulas de campo também cansam bastante, pois são feitas análises, croquis, medições com bússola de geólogo, e no final de tudo um relatório bem feito e detalhado. Então  merecem no fim  uma boa cerveja, uma porção de batatas e muita conversa... hahaha
                                                                   Afloramento de filito

Filito-Rocha metamórfica

 Dique-formação à esuqerda, e Mármore à direita


 Afloramento de granito do Cerne


Afloramento de filito com pirita incrustada 

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Começo do fim... Anhangava 5

Pensei em contar experiências em odem cronológica, mas pensando bem, é melhor aproveitar a animação do momento pra passar melhor as sensações. Então vou contar é da última trilha que fiz.  As outras passadas é claro que colocarei aqui também, agora, a ordem cronológica, já era! Vai ser aleatório mesmo.

E a última foi uma subida ao Anhangava, no último sábado(14/05/11). Fui dessa vez em um grupo de 6 pessoas que fazem geologia comigo. Para 3 meninos, foi a 2ª subida, a 1ª foi há mais ou menos 1 mês atrás, quando conseguimos juntar 16 pessoas do curso pra subir (a maioria pela 1ª vez) o Anhangava, um recorde! haha mas essa história fica pra uma outra postagem =)
Pra um casal foi a 1ª subida e pra mim a 5ª ao Anhangava.
Acho o Anhangava a melhor montanha pra apresentar esse meio pras pessoas, é uma subida fácil, mas também exige um pouquinho, ainda mais na 1ª vez, tem uma vista muito bonita no cume, inclusive da capital e da represa do Iraí, e uma altitude e 1430m, o que já é considerável, pelo menos no Brasil. A subida é muito legal, com alguns trechos com grampos, uns paredões de rocha bem legais pra quem escala e pra quem não escala tmbém são legais de ver, e ainda mais pra estudantes de geologia, tem muita geologia durante o percurso, com muita rocha diferente, falhas e outras várias estruturas.  Além de que no início da trilha do Anhangava, pelo lado da trilha principal saindo do refúgio, tem uma cachoeira até que grandinha e bem legal pra tomar um banho após a descida, mas isso se estiver calor, o que absolutament não foi o caso dessa vez.
Aliás o frio foi uma das coisas que deixou essa subida mais emocionante, apesar de ser um pouco sofrido, acho que o frio combina muito com montanha. Dessa vez estava um friozão e no cume ventava muito. A única coisa que atrapalhou foi o cume todo encoberto por núvens, mas apesar disso, tava massa, e não choveu!
A subida normalmente dura +- 1h e meia, mas dessa vez subimos em 2 hras e meia, mas foi 1 hra a mais muito bem aproveitada. Quando chega no paredão de rocha que a galera escala, decidimos fazer um tentativa de boulder, e deu certo! haha Subimos o quanto deu na rocha e a vista lá de cima foi o máximo, além de as nossas fotos lá em cima também terem ficado muito legais! Também achamos umas rochas legais, atrás da fenda que tem nessa parte também, lugar que eu não conhecia, e graças a um dos meninos que resoveu ver o que tinha atrás da fenda, a gente achou esse local bem interessante, onde também rendeu umas boas fotos.



paredão de escalada

atrás da fenda
  E mais que umas fotos rendeu também na galera a vontade de começar a escalar pra valer e já estamos vendo um dia próximo pra ir numa academia de escalada praticar pra depois, é claro, subir mais ainda nesse paredão natural aí!

No geral a subida foi tranquila, nenhum acidente e todos subiram om facilidade. O problema só foi na hora de voltar... mesmo eu já tendo subido outras 4 vezes, a trilha para voltar que se pega no cume virou uma incógnita, pegamos umas 3 ou 4 trilhas diferentes até acertar caminho. Fez parte da diversão =)

A descida foi bem rápida, não contei no relógio, mas foi +- 1 hra. Pegamos o onibus Borda do Campo as 16:30. Lembrando aí aos interessados que o Onibus Curitiba/Quatro Barras(br116) e o Quatro Barras/Borda do Campo são ônibus que passam de hora em hora nos domingos e no sábado de manhã, de 40 min em 40 minutos. Pra ir de ônibus o Anhangava pode exigir um dia inteiro, mas de carro, a dia e a volta demoram bem menos.

No geral, o dia foi perfeito, fomos num espírito de muito contato com a natureza, achamos lugares diferentes, fizemos coisas diferentes, o tempo tava massa,  correu tudo bem e saíram fotos boas!
A vontade agora é de voltar logo e pra escalar!
cume



Fotos por Veleda Müller e Junior Costa.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Pra começar...



... vamos do início. Como deve ser comum em um primeiro post, não se sabe muito o que falar, muito menos q título por nisso ae. Criei esse blog motivada principalmente pelas experiências em montanhas e trilhas. Já visitei muito blog legal e tirei deles muita informação útil e interessante. Apesar de já existirem muitos blogs de viajantes, montanhistas etc, cada um tem sua experiência particular e modo de pensar sobre elas, então, acho q não é demais eu compartilhar mais um pouco de vivências.  O objetivo aqui vai ser divulgar principalmente as experiências de contato com a natureza, afinal acho q depois de 18 anos convivendo várias vezes em áreas rurais, 8 anos sendo escoteira e +- 4 anos subindo algumas montanhas, acho q já tenho bastante história pra contar. Além disso ainda pretendo divulgar leituras, músicas e filmes relacionados, ou às vezes nem tão relacionados...
Só pra terminar e deixar mais claro, sou de Curitiba-Pr, estou afastada do movimento escoteiro (mas pretendo voltar em breve), curso geologia no UFPR, e minha maior paixão são as montanhas, todas elas, mesmo as que eu não tenho alcance, ainda. Costumo subir as montanhas paranaenses próximas por vias de trekking e pretendo, agora começar a praticar boulder e escalada, quando eu começar pra valer, claro q conto aqui!

"Eu pertenço a ete mundo, aos ventos, ao frio, à onipotência desta montanha que como um deus me diz: -Vem..., aqui é o teu lugar!"
W. Niclevicz , em "Everest, O diário de uma Vitória".