"Atualmente todos vivemos em um mundo dominado pelas máquinas. Quase não restam em nosso deteriorado planeta espaços livres, onde possamos esquecer nossa sociedade industrial e testar, sem sermos incomodados, nossas faculdades e energias primitivas. Em todos nós se esconde uma saudade do estado primogênito, com o qual podíamos calibrar-nos com a natureza e enfrentá-la, descobrindo a nós mesmos. Aqui está basicamente a razão de não haver para mim uma meta mais fascinante que esta: Um homem e uma montanha. "

(Reinhold Messner)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Morro do Canal- o 1º


Hoje vou escrever uma história mais antiga... A da primeira montanha que subi, o Morro do Canal, com altitude de 1396m do nível do mar, no município de Piraquara na Serra do Marumbi.

Subi esse morro pelo grupo escoteiro, quando tinha acabado de entrar para a tropa sênior (idade entre 15 e 18 anos). Essa foi uma atividade com os escoteiros (entre10 e 14 anos) e os sêniores, por ser uma montanha muito tranquila de subir, não lembro ao certo, mas lembro que foi uma subida muito rápida, uns 50 minutos talvez. 
A tropa escoteira não costuma fazer atividades como montanhismo, não só por uma questão de dificuldade, mas mais pela organização e responsabilidade que se deve ter na montanha, é mais a tropa sênior que pratica esse tipo de atividade, mas como esse é um morro bastante fácil, foram as duas tropas. 
Nessa época eu ainda não era ligada em montanhismo, nem sabia como era, apesar de já ter feito muita coisa interessante na tropa escoteira, a melhor coisa que aconteceu pra mim na tropa sênior foi descobrir a magia das montanhas. 

Subimos em um grupo bastante grande umas 20 pessoas para mais, como todos a maioria era inexperiente, a subida foi um pouco cansativa, mas como é bastante rápida a subida ninguém ficou muito cansado. O ruim desse dia é que quando chegamos no cume, ele estava todo encoberto por nuvens, o que foi um pouco frustrante, ainda mais para um primeiro pico. Mesmo assim a experiência foi legal, ficamos uma meia hora no cume, depois no início da descida as nuvens deram uma trégua e conseguimos ter uma vista bem bonita. 
A trilha do Morro do Canal é muito legal pra se iniciar no montanhismo e até mesmo pra quem já é praticante, quando quer algo mais leve e rápido, pois pode-se subir tranquilamente em uma tarde. A trilha tem alguns trechos com grampos na rocha também, e a vista do cume, quando o céu está aberto, é bem bonita, além de ser próxima de Curitiba, o Morro está a uns 15 km da capital.
Nesse dia descemos em aproximadamente meia hora e na base fizemos algumas atividades escoteiras.

O morro também tem uma infra-estrutura muito boa, na base tem uma lanchonete e banheiros, e a trilha é bem marcada e bem cuidada.
O lado ruim é para quem vai de ônibus, esse ano quis levar alguns colegas subir o Morro do Canal e não fomos por não ter ônibus que leve até as proximidades da base do morro, até ficamos sabendo de um, mas a distância até a base ainda era muito grande. Aliás se alguém souber de um ônibus que deixe próximo a montanha, por favor, deixe um comentário aqui!
Pra quem vai de carro, a história é bem diferente, o acesso é bem fácil, quando fui, fomos com ônibus fretado que nos levou até a base.

Voltamos no mesmo dia. Ao final dessa joranada, gostei bastante da experiência, mas o amor pelo montanhismo ainda viria em outras subidas, que logo conto por aqui...

Então, fica a dica aqui, pra quem quiser uma trilha susse e uma experiência massa! 
Tempo nublado
 Tempo abrindo e propiciando a vista
 Tropa Sênior do G.E. São Gaspar Bertoni no cume

Fotos por Veleda Müller.

Um comentário:

  1. To muuuito querendo fazer esse Morro, mas tambem nao acho onibus, to loka atras!!

    ResponderExcluir